Acilene Candeia - Patos Verdade - 13 de Novembro de 2017 - (4298 j leram)

Preso encontrado morto em Delegacia de Patos teve infarto fulminante, diz delegado

Um preso que estava detido na Delegacia de Polícia Civil de Patos foi encontrado morto na noite da última sexta-feira, 10. Segundo o delegado seccional, George Wellington, o homem teve um infarto fulminante sendo este atestado pelo Samu e Instituto de Polícia Científica. 

Renildo Pereira Pontes, 36 anos, tinha roubado uma loja no centro da cidade e ao ser detido, foi conduzido à delegacia com os objetos recuperados. Ainda de acordo com o delegado, o acusado informou que só falaria juízo. 

Durante o procedimento de flagrante, o delegado Manoel Martins o finalizou e em seguida o preso recebeu a visita de sua mãe. 

"Ele recebeu a visita da mãe dele, umas cinco e meia, por aí. O agente levou ela na carceragem onde ele estava sozinho. Quando Daniel (agente) chegou lá com a mãe de Renildo, ele estava estirado no chão e devido ao grau de etílico que ele aparentava quando chegou a Delegacia, tanto os policiais quanto a própria mãe dele acharam que ele estava dormindo. Aí a mãe dele disse: ele está dormindo. Voltou e foi pra casa", contou o delegado ao repórter Paulo Costa do portal deolhonosertao. 

Ele ainda explicou que o delegado Ronis Feitosa chegou com outra ocorrência e foi a carceragem com dois policiais militares para botar outro preso lá, e ao passar pela cela tentou falar com ele, mas, ele não respondeu. Ronis ainda disse que o braço do preso estava roxo e foi orientado a acionar o SAMU que, chegando à Delegacia, atestou o óbito. 

O IPC também foi acionado e realizou a perícia no local onde atestou o infarto fulminante.

O corpo foi levado para o IML e a polícia aguardará o laudo cadavérico e toxicológico. 

"Agora é aguardar o laudo cadavérico, laudo toxicológico também e esses laudos vão revelar se houve algum tipo de violência no corpo da vítima, se foi morte violenta, se foi morte natural" explicou.

A delegada Daniela Quirino ouviu os policiais militares que receberam a ocorrência,  bem como ouviu o delegado Manoel Martins que está a frente do caso. 

Agora será iniciado o inquérito policial até sua finalização. 

Publicidade