Biblioteca criada em Fórum recebe crianças durante audiências, em Patos

Uma biblioteca voluntária foi montada para receber crianças que acompanham os pais durante audiências no Fórum Miguel Sátyro, da cidade de Patos, no Sertão paraibano. De acordo com a idealizadora do espaço, Terezinha Vita de Sousa, servidora do Judiciário estadual, o espaço, que começou com uma estante com apenas 50 livros, hoje possui um acervo de 1.700 obras.

A ideia teve início em fevereiro deste ano. A biblioteca voluntária fica em local visível, na sala principal do Fórum. Segundo a idealizadora, além do público infantojuvenil, o espaço costuma ser frequentado por advogados, estudantes universitários, concurseiros e professores.

A biblioteca fica aberta das 7h às 14h, durante o funcionamento das atividades do Fórum. Terezinha explica que o objetivo é, através da leitura, acalmar as crianças durante as audiências. “Além das crianças, outras pessoas começaram a frequentar o espaço, por isso o acervo é composto por obras literárias, enciclopédias, gibis, revistas, paradidáticos, apostilas para concurso e outros”, relata.

Um dos frequentadores da biblioteca é o auxiliar judiciário Edson dos Santos. Formado em administração, o servidor diz que, após a instalação da biblioteca e ao frequentar o espaço, se sentiu estimulado a ingressar numa pós-graduação. “Fico muito feliz com os relatos que tenho ouvido durante os oito meses de funcionamento da biblioteca no Fórum, inclusive de pessoas que fizeram o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) utilizando livros desse espaço”, conta.

De acordo com Terezinha, qualquer pessoa pode ir ao local e pegar o livro que deseja. É possível ler a obra no próprio espaço ou levar para casa e, após a leitura, repassar para outro leitor ou então devolver à biblioteca. “A proposta é habituar a população a ler cada vez mais, além de contribuir para diminuir a ansiedade das crianças e adultos que vêm para o Fórum durante audiências”, explica.

Terezinha diz que a biblioteca voluntária aceita doações de livros. Para colaborar com a iniciativa os interessados podem entrar em contato por meio do telefone (83) 3423-3633, que algum funcionário do Fórum irá buscar a doação. Ainda segundo a idealizadora, dependendo do recebimento de novos livros, há a ideia de abrir outras bibliotecas em locais estratégicos da cidade.

Publicidade