Assessoria - 13 de Setembro de 2017 - (4413 j leram)

Maternidade de Patos no apenas respeita, mas estimula a presena do pai no momento do parto. Diz diretor

Desde que a Lei 11.108 entrou em vigor, em 2005, que a Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos permite que umacompanhante, indicado pela gestante, a acompanhe durante o trabalho de parto, durante o parto e no pós-parto imediato. O respeito à Lei do Acompanhante é prática inclusive, porque a unidade é um local de ações humanizadas.

O diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto Marinho Júnior, reitera, que esse direito de acompanhar esse momento é resguardado ao pai, no entanto, como a unidade não tem apartamentos individuais, mas coletivos, para preservar a integridade e individualidade de outras gestantes, nos momentos de exames e  procedimentos, é praxe solicitar ao acompanhante masculino que se ausente do alojamento.

 “Foi isso o que aconteceu com o parente da vereadora Nadir Rodrigues que precisou se ausentar do quarto num momento em que a unidade estava com super lotação, mas, teve preservado o seu direito de acompanhar o nascimento do filho, já que o procedimento obstétrico é feito de forma individualizada”, explica Dr. Umberto, lembrando que o direito da gestante na unidade é plenamente assegurado e até estimulado.

Publicidade