Rodrigo Cezar - 6 de Maro de 2018 - (1363 j leram)

Mesmo com perspectiva de boas chuvas, a previso de pouca gua nos audes

Mesmo com a perspectiva de chover pelo menos numa quantidade normal nos próximos 03 meses, o estudioso Rodrigo Cézar Limeira reafirma que a maioria dos grandes açudes do semiárido da Paraíba devem armazenar pouca água em 2018. Tal fato refere-se a irregularidade do período chuvoso, prevista pelo estudioso bem no início do ano para os meses de janeiro e fevereiro, e que também deve ser observada no corrente mês de março.

No mês de fevereiro, que segundo tinha previsto o pesquisador, seria o de melhor cenário para chuvas aqui no semiárido do Estado, não choveu em 19 municípios principalmente do Cariri do Estado.

Em janeiro, mês em que foram registradas chuvas mais irregulares, muitas localidades registraram chuvas abaixo da média, a exemplo de Patos, que registrou 45,4 mm na Embrapa para uma média pluviométrica de 65 mm e Sousa registrou apenas 19 mm, para uma média pluviométrica de 80 mm no Dnocs.

A previsão de enchimento de barreiros em muitos municípios do interior do Estado deve se confirmar, mesmo com a irregularidade do período chuvoso esse ano.

A previsão mais importante do pesquisador deve se confirmar pelo 6º ano seguido:

Pouca recarga hídrica para a maioria dos grandes açudes do semiárido paraibano, e especificamente para os reservatórios que abastecem Patos.

Segundo dados do Governo do Estado, os reservatórios que abastecem Patos, têm atualmente em 2018 os seguintes volumes de água:

Açude do Jatobá: 1,8 milhões de metros cúbicos, dados de 26/02:

Antes do período chuvoso o reservatório estava totalmente seco.Portanto o manancial teve uma recarga até agora de apenas  1,8 milhões de metros cúbicos de água, e pode comportar cerca de 17,5 milhões de metros cúbicos, está com cerca de 10,29% de sua capacidade.

Barragem da Farinha: 4,8 milhões de metros cúbicos:

Antes do período chuvoso o reservatório estava com cerca de 400 mil metros cúbicos. Portanto o manancial teve uma recarga até agora de cerca de 4,4 milhões de metros cúbicos de água, e pode comportar cerca de 25,7 milhões de metros cúbicos, está com cerca de 18,74% de sua capacidade.

Barragem de Capoeira: 4,4 milhões de metros cúbicos, dados de 25/02:

Antes do período chuvoso o reservatório estava com cerca de 2,6 milhões metros cúbicos. Portanto o manancial teve uma recarga até agora de cerca de 1,8 milhões de metros cúbicos de água, e pode comportar cerca de 56 milhões de metros cúbicos, está com cerca de 8,26% de sua capacidade.

Açude de Coremas: 56,5 milhões de metros cúbicos

Antes do período chuvoso o reservatório tinha cerca de 23 milhões de metros cúbicos de água, portanto o manancial teve uma recarga até agora de apenas  33,5 milhões de metros cúbicos de água, e pode comportar cerca de 591milhões de metros cúbicos, está com cerca de 9,55% de sua capacidade.

Açude Mãe d' Água: 22,8 milhões de metros cúbicos

Antes do período chuvoso o reservatório tinha cerca de 15,7 milhões de metros cúbicos de água, portanto o manancial teve uma recarga até agora de apenas  7,1 milhões de metros cúbicos de água, e pode comportar cerca de 567 milhões de metros cúbicos, está com cerca de 4% de sua capacidade.

Publicidade