A CHUVA CHEGOU NO SERTÃO!

Nos últimos anos, o Sertanejo; o povo Nordestino de um modo geral tem sofrido com a escassez das chuvas na região. Os mananciais que abastecem as principais cidades do polígono da seca, não receberam volumes suficientes para suprir a demanda de consumo da população. No entanto, algumas medidas de emergências têm amenizado um pouco essa necessidade. Já, na zona rural o agricultor vem sofrendo muito para se manter na sua terra; no seu “chão”, enfrentado problemas na lavoura e, na manutenção de alguns animais, que criam para ajudar na sua manutenção diária, como: Cabras, Vacas e até Galinhas.

Mas, para alegrar um pouco e trazer novas esperanças para esse povo sofrido, porém, lutador; forte e aguerrido, Deus “abriu às Portas do Céu” e derramou sobre esse “torrão” árido e seco, A chuva! Que chegou e alegrou o Sertanejo!

Para ilustrar o texto, fiz a sextilha abaixo.      

Chegou à chuva de novo 
Para alegrar o Sertão 
Chegou cheia de “sorrisos” 
Escorrendo pelo chão 
Chegou “abraçando” o povo 
Sofredor do meu Sertão!

Chegou ainda fininha 
Mas, depois ela engrossou 
Derramou sem “avareza” 
O seu líquido salvador 
Alegrando os sertanejos 
Que nas terras já plantou!

Chegou trazendo esperanças 
Para o povo Nordestinho 
Trouxe na sua “bagagem” 
A solução do destino 
Fazendo o Sertanejo pular 
Como se fosse um menino!
 
Chegou “dizendo”: “cheguei”... 
Exuberando a pujança 
Saudando o povo da terra 
Trazendo consigo a bonança 
Molhando os olhos do homem 
Da ânsia de uma esperança!

Chegou com honra e glória 
Pelos mandados de Deus 
Removeu em cada rosto marcado 
As rugas que o envelheceu 
Voltou o homem pra terra 
E a plantação floresceu!

Chegou escorrendo nos rios 
Chegou molhando o chão 
Chegou refazendo à vida 
Chegou pra brotar plantação 
Chegou à chuva trazendo: 
O reflorescer do Sertão!     
     

Patos, 17/04/2018
Anchieta Guerra

Publicidade