“MORREU MARIA PRÉA”!

Das muitas histórias ou invencionice contadas pelo povo Nordestino, uma delas se tornou muito conhecida, das tantas existentes e, “introduziu” no linguajar coloquial Regional, uma designação sinonímica de final; de termino, ou seja, de encerramento! 

O poeta e compositor Potiguar, Itanildo Medeiros, foi buscar, depois de várias pesquisas, uma explicação para a expressão: “Morreu Maria Preá” e, em versos rimados, detalhou o que tinha descoberto sobre a referida frase.

Então, vamos ao resultado.

Morreu Maria Preá!                                  

Morreu Maria Preá!
Esse ditado famoso
Eu comecei pesquisar
Porque fiquei curioso.
Depois de revirar tudo
Descobri com muito estudo
O motivo da bravata
É que um padre num interior
Tinha um chamego, um amor,
Um caso com uma beata.

Bonita e muito formosa
Maria Preá: Seu nome
Essa beata fogosa
Do padre tirava a fome,
E sempre que ele podia
Com ela ele se escondia
Pra poderem se agarrar.
Mas um dia o sacristão
Flagrou os dois num colchão,
O padre e Maria Preá.

E depois dessa orgia
O padre perdeu o sossego.
O sacristão todo dia
Alegava esse chamego
Chantageando o vigário,
Fazia ele de otário
Ameaçando contar.
Deixava o padre com medo
Que vazasse esse segredo
Dele e Maria Preá.

Sem saber o que fizesse
Com o sacristão lhe explorando
Pois tudo que ele quisesse
O padre ia logo dando,
Com medo que a cidade
Descobrindo essa verdade
Ficasse escandalizada,
Pediu a Deus uma luz
Pra lhe tirar dessa cruz
Dessa exploração cerrada.

Até que um dia o vigário
Viajou pra ali pertinho.
Foi rezar um novenário
Num município vizinho.
Esqueceu de um documento
E notando o esquecimento
Parou no meio da estrada,
Deu meia volta e voltou,
Mas quando em casa chegou,
Eita surpresa danada!!!

O padre entrando apressado
Na casa paroquial,
Viu o sacristão curvado
Em decúbito dorsal,
Nu da cintura pra baixo
Por trás dele um outro macho
Numa movimentação
E o padre, vendo, notava
Que o rapaz “encarcava”
No dorso do sacristão.

Assistindo aquela cena
Mas lembrando do passado,
O padre ficou com pena
E também aliviado.
Mas, mesmo com a vergonha
Daquela cena medonha,
Gritou o Padre de lá:
Sacristão se oriente!
Pois, pra nós, daqui pra frente,
MORREU MARIA PREÁ

Publicidade